Humildade é a palavra da vez! – Gastronomia

gastronomia1

Eu lembro como se fosse ontem, a primeira palavra que eu ouvi no começo do curso da faculdade foi HUMILDADE.

Com o passar do tempo eu entendi o porque dessa palavra ser tão frisada. Já logo no começo do curso, me deparei que pessoas entravam na sala de aula (sim! sala mesmo, com cadeiras e etc, a cozinha mesmo, esquentar a pança no fogão, só veio depois!) achando que iriam sair da faculdade, como um Alex Atala da vida! Doce ilusão né?!

Gastronomia nada mais é do que arte, criação! Onde você pega um ingrediente cru, e o transforma num prato magnífico! Mas para tudo isso acontecer, necessita-se de aprendizados básicos, e a partir disso, é que vem a criação propriamente dita.

A palavra humildade é muito falada por diversas razões, mas uma delas é que, você não é melhor do que ninguém! Existem profissionais na área muito melhores, da mesma forma que existem os piores. Então, não existe razão para um ego tão grande!

Uma outra razão, e é muito importante, é que o mundo da gastronomia, é extremamente pequeno. Um exemplo simples, o chef italiano Mássimo Bottura (um dos melhores do mundo) que está em Modena, obviamente na Itália, conhece o chef Alex Atala (também um dos melhores do mundo) que está no Brasil. Por sua vez, o chef Atala conhece a chef Helena Rizzo do Maní, que pode ser que conheça o Rogério Shimura que é um padeiro super famoso, já o Shimura, conhece a chef de confeitaria Carole Crema, que conhece o também chef de confeitaria Rafael Bastos, que conhece o coordenador do meu curso na faculdade, que por fim ME conhece!!!! Viu só que mundo pequeno?!  Isso é um exemplo, mas que acontece SIM!
Ou seja, a humildade existe também nesse ponto, para lembrar que a sua opinião, tem que ser guardada para você! Não fale mal de ninguém, não julgue, não seja prepotente, não seja egocêntrico, enfim, seja HUMILDE! Pois não sabemos o dia de amanhã, e como dizem os indianos “Não jogue as palavras no vento. Porque o vento as carrega para vários lugares!” e sabemos que é isso mesmo que acontece.

Outro ponto, sua comida é boa, e é mesmo, mas tenha consciência de que existe comidas piores e melhores que a sua! Então não rotule nem a si mesmo, quanto menos os outros!

Claro que isso não acontece somente em gastronomia, acontece em tudo e em todas as profissões, mas eu só posso falar em relação ao meio profissional em que eu trabalho certo?!

Humildade em gastronomia é, respeitar tudo e à todos! Nossa área é extremamente desgastante para que possamos nos dar ao luxo de esquecermos dessa palavra que é essencial! Não sabemos se o menino que lava o prato hoje, será ou não, um chef estrelado amanhã!

Pode até ser que chefs famosos sejam insuportáveis, boatos existem né?! Mas tenho a certeza de que eles não se prendem a opiniões alheias, eles já tem sobrecarga demais no trabalho para se preocuparem com isso! Mesmo porque, eles são denominados “os melhores” e sendo assim, não podem ficar de beijos e abraços o dia inteiro concordam?! É necessário disciplina, organização, e respeito. Eles tem que mostrar quem são, senão vira bagunça! Entendem o que quero dizer?!

Essa simples palavra, foi tão repetida em todos os módulos da faculdade, que hoje ela me faz sentido! Se não for humilde, não se chega em lugar nenhum, não aprende, não cresce.
Leva-se muito tempo para se tornar chef, para usar a palavra francesa com categoria, então é muito bom se policiar!

Uma vez ouvi o chef Alex Atala dizendo mais ou menos o seguinte “Para ser chef, finalizar prato, tem que saber limpar chão!” e é isso mesmo! Tem que começar por baixo, para conseguir alcançar o topo! E é nisso que eu acredito!

Mas independente disso, eu amo o que eu faço, eu amo gastronomia, amo comida, e esse será um dos muitos ensinamentos que eu levarei para sempre na minha lembrança!!!

S E J A  H U M I L D E ! ! !
Bjs.

Um perfeito cavalheiro – Resenha

E segunda é dia do que?! De resenha da série Os Bridgertons!!!! ❤

Então, BORA LÁ!!!

resenha_3

Esse livro contra a história de Benedict Bridgerton e de Sophie.
Esse livro fez meu coração dar umas palpitações por Benedict! Ele é tão lindinho!!! 🙂

Benedict sempre foi tratado como segundo em tudo, o segundo filho, o segundo na linha de sucessão ao título, e etc. Para as mães casamenteiras, ele não passava de um bom partido para suas filhas, devido ao sobrenome, ninguém nunca teve vontade de conhece-lo de verdade, como ele era na sua essência. Ele não pensava que iria se casar por amor, como seu pais, mas essa ideia mudou completamente, quando ele conheceu a jovem Sophie.

Sophie é filha bastarda de um conde, então, para a sociedade londrina, ela não passaria da escória! Mas ela teve uns privilégios de nobreza na infância, o que tornava a sua vida um inferno, por causa do tratamento que sua madrasta e irmãs davam à ela! Lembram da história da Cinderella?! Então, é quase isso! Um sonho né?!

Ela sonhava em poder participar dos bailes, de ter um pouco daquilo que ela tanto ouvia.
Uma vez ela estava limpando os sapatos da sua madrasta, e ouviu falar sobre um baile que seria dado na casa dos Bridgertons, mas ela apenas ouviu e se conformou com o fato de não poder ir, até que os criados da mansão prepararam uma surpresa para ela.

image1 (8)

 

O baile se tratava de uma baile de máscaras!!! E é neste baile que a vida de Sophie muda completamente!

Benedict conhece naquela noite, uma pessoa que realmente que entende-lo, que conhece-lo, e ele por sua vez presenteia Sophie com uma noite inesquecível!

O que Sophie desconhece, é que seu pai, que nunca a assumiu completamente, lhe deixou uma herança no testamento, sua madrasta odiosa omitiu esse fato, e continuou maltratando-a e fazendo dela uma criada, já que ela tinha que cuidar da menina até ela completar 20 anos, para que pudesse ter direito à herança que também foi dada a ela e as filhas.

Acho que esse é o livro que eu mais gosto da série, por todo o romance e história de Sophie.
Não tem como não lembrar da Cinderella, e quem não tinha dó dela e vontade de bater na madrasta e nas filhas?! Mas no livro não tem ratinhos que cantam e dançam. hehehehheheh

A maneira que Julia Quinn escreveu todos os livros, é maravilhosa, mas essa se superou!
Meu coração dava saltos, ficava apertado, sem contar que foi o livro mais rápido que eu li, eu simplesmente não conseguia parar de ler, perdi uma noite de sono por causa dele! Simplesmente viciante! 🙂

O maior problema para que os dois ficassem juntos, era a condição de vida de Sophie, mas não por parte de algum preconceito de Benedict, mas sim por causa da sociedade em si. O fato de ser filha bastarda, não era vista com bons olhos naquela época!

O amor que o jovem Bridgerton nutriu por ela, era sensacional, era lindo! Ele se mostrou um homem sensato e sensível! Tããããão fofinho!!!

Sem contar que a misteriosa  Lady Whistledown continua a publicar seus comentários na coluna semanal do jornal, o que faz com que os leitores fiquem interessados em descobrir quem é a tão perspicaz autora de comentários afiados sobre eles da sociedade. Quem será?! Quem será?!

Um perfeito cavalheiro é realmente um livro maravilhoso, e está com certeza na lista dos livros que eu irei reler!!! Esse eu recomendo de olhos fechados, para àquelas pessoas que gostam de romance. 🙂

Por hoje é só! Semana que vem eu escrevo sobre o outro livro da série! Espero que tenham gostado!

Bjs

Dicas de livros!!!

Independente do cansaço, não poderia deixar de passar por aqui!

Como já expliquei aqui, sou confeiteira, então dá para imaginar como está a minha vida, trabalhando com chocolate dias antes da páscoa!!! Uma verdadeira loucura né, sem contar o cansaço! Mas enfim, compromisso é compromisso e hoje eu vou postar sobre dicas de livros!

Então, borá lá!!!!


Esse livro é uma graça! A história é maravilhosa!!!!

A história conta o encontro de James Bowen é um gato que aparece na sua casa!

Ele é um músico, passando por imensas dificuldades financeiras, quando encontra Bob.

Quando Janes vai trabalhar em uma praça, ele percebe que Bob quer ir junto, e então, ele passa a levá-lo consigo todos os dias!

Mas o envolvimento dos dois é tamanho, que pessoas começam a notar, mesmo porque, não é comum ver um gato pendurado no pescoço de alguem né?! Hahahahahaha e é exatamente isso que Bob faz!

James faz uma narrativa bem sincera sobre o que foi acontecendo nos momentos seguintes do encontro dos dois! É simplesmente apaixonante!

Eu, como sou suspeita em falar sobre gatos, já que amo esses felinos de paixão, só posso dizer que o livro vai agradar é muito, quem começar a ler!

E agora também terá filme sobre a história! Não vejo a hora ❤️


Hemingway é uma maravilha não?! Hehehehehe eu adoro!

O livro conta as memórias de Hemingway em Paris, nos anos 20, quando ele viveu por lá!

Mesmo passando por problemas financeiros, ele, ainda assim era feliz, e super apaixonado pela esposa!

Hemingway larga a área de jornalismo para se dedicar à literatura, mas ele ainda não havia escrito romances, e seus contos quase não era publicado e não conseguia despertar muito interesse.

O autor americano, relata suas experiências parisienses deixando claro, pelo menos para mim, a saudades que ele sentia daquela época, uma vez que o livro foi publicado quase 30 anos depois!

O próprio autor diz no prefácio, que nós, leitores, podemos considerar o livro uma ficção, mas no fundo, nós sabemos e sentimos a presença dele em cada parte da história , uma marca mesmo!

Eu como gostos de livro que mostram como era tempos e tempos atrás, fiquei fascinada imaginando como seria viver em plena Paris nos anos 20!

Ernest Hemingway, um gigante autor americano, deixa sua marca nesse livro, que é de longe, uma magnífica obra prima!!!!!

Leiam e não se arrependeram!!!!! 🙂


Esse livro é, com certeza, o meu preferido entre os outros que Dan Brown escreveu!

Eu ficava ansiosa, nervosa!

Robert Langdon está de volta! E dessa vez na Itália, e, sem memória!!!!

Algo aconteceu e ele não sabe, ele fez alguma coisa e não lembra, essas angustiantes “fatias” que não tem como ele explicar no começo do livro, faz com que o difícil seja não virar a próxima página!

Langdon e a médicaSienna, vão atrás de pistas, que os levam diretamente à Divina Comedia de Dante Alighieri!

Como toda história com o Langdon, é certeza de que iremo descobrir curiosidades gigantes, e que também iremos explorar ao máximo  a maravilhosa Itália!!!!

Esse livro não  tem como eu explicar alguma parte, pois tudo tem uma sequência a ser seguida, só lendo o livro inteiro para entender o que eu estou “falando”. Por isso que não estou entrando em detalhes quanto a história!

Só poso garantir uma coisa, o final é de surpreender!

Enfim! Essas são minhas 3 dicas de hoje. Foram bem curtas, eu sei, mas o cansaço me impede de prosseguir e a criatividade para escrever, foi dormi antes de mim! Hahahhahah

Desculpem-me se deixei algo confuso, mas parece que está tudo na ordem certa! Pelo menos, na minha sonolenta cabeça!!!! Hahahahahhahhahah

Me despeço por hoje!

Bjs

O Beijo de Chocolate – Resenha

Já que essa semana eu sem querer comecei falando sobre chocolate, vou continuar no tema!!!

A resenha de hoje será sobre o segundo livro, O beijo de chocolate, de Laura Florand. Eu contei muito rapidamente sobre o primeiro, no post de Dicas de Livros que eu escrevi dias atrás e confesso que o segundo me cativou mais que o primeiro! 🙂

Vamos à resenha!!!!

O-Beijo-de-Chocolate

Mais um vez, a história se passa na apaixonante Paris, mas dessa vez, conta a história de Magalie Chaudron e Phillipe Lyonnais.

Uma casa de chá chamada La Maison de Sorcières, localizada na pequena Île Saint-Louis no coração de Paris, é o refúgio de Magalie Chaudron, uma mulher franco-americana que, junto com suas tias tocam o negócio com sua peculiar decoração. Cheia de chapéus de todo o canto do mundo, a Maison de Sorcières encanta seus clientes, junto com o chocolat chaud (chocolate quente em português) que Magalie prepara além das magníficas esculturas em chocolate que as 3 fazem para enfeitar a vitrine da loja.

Mas com a chegada da loja de Phillipe Lyonnais, o famoso pâtessier com seus famosos macarons, faz com que Magalie se sinta ameaçada, uma vez que sua confeitaria é frequentada praticamente pelos mesmos clientes, e ocasionalmente turistas que vão visitar a ilha.

O problema, na realidade é que são duas pessoas com a personalidade muito fortes, Magalie com seu orgulho e teimosia e Phillipe com sua arrogância e também teimosia.

Sem se deixar levar pelos conselhos de suas tias, Magalie vai de encontro com Phillipe em sua confeitaria em Paris, deixar claro, que sua nova loja e sua presença não serão bem vindos na pequena ilha. O que se inicia então é uma “guerra“entre os dois!!!

Quando Phillipe pede para que Magalie prove um dos seus macarons, para provar que são os melhores, ela simplesmente se recusa em aceitar, o que deixa o pâtessier perplexo!!!!

E a luta começa quando Phillipe começa a insistir que Magalie coma um macaron, enviando para ela de diversar formas, e Magalie, quer que ele prove seu chocolat chaud, que também é recusado toda vez que ela o envia.

Chega o dia em que a loja abre, e causa uma verdadeira febre na ilha, com filas imensas e pessoas abarrotadas no balcão para comprar os produtos do famoso confeiteiro. A loja de Magalie simplesmente fica vazia, já que até seus clientes habituais, se rendem aos encantos dos famosos doces.

Porém, em meio ã todo esse conflito de egos, essa disputa de provar que são bons, começa a acontecer o improvável, os dois começam a se sentir atraídos, o que gera mais confusões, uma vez que essa descoberta, faz com que os dois se sintam distraídos nos seus trabalhos.

Na realidade, eu tinha vontade de dar uns tapas em Magalie, porque quando Phillipe decide que vai baixar guarda para ela, Magalie usa todo seu orgulho para impedir as investidas dele! Só lendo o livro para entender o que eu estou falando!!! hehehehehehe

Resumindo, toda a ilha vai servir como palco para as discussões dos dois, até o momento que ela prova o macaron dele, e ele prova o chocolate quente dela. Aquele famoso ditado que diz “os opostos se atraem” literalmente é visto nessa história!!!

A minha opinião é que esse livro valeu cada página virada, e cada vez que eu virava a página era uma surpresa diferente, uma criação nova, e uma guerra de personalidades que parecia não ter fim!!!! 🙂

E por hoje eu me despeço! Espero que tenham gostado. 🙂

Bjs

 

 

História do Chocolate 


Já que estamos perto da páscoa, e a procura por chocolates aumenta, vou dar uma breve explicação sobre a história do chocolate, já que nem todo mundo conhece!!!!

Lá em meados de 250 a.C os maias usavam o cacau como oferenda aos deuses. Eles faziam uma espécie de pasta, com as sementes do cacau fermentadas e moídas, acrescidas de água, pimenta e farinha de milho. É nessa época que surge a primeira “forma” do chocolate.

Mais tarde, com os Astecas, a bebida era utilizada entre os nobres e também servia como oferenda ao Deus Tenochitlán. A bebida era adoçada com mel e especiarias, e era chamada de xocoatl, que significava água amarga.

As sementes de cacau eram utilizadas como moedas entre os astecas e os maias, já com o domínio espanhol, Fernando de Oviedo y Valdez comprou um escravo por cem sementes de cacau.

Em 1513, os espanhóis usavam a bebida de cacau, adoçadas já com açúcar, e começam a chegar navios vindo do México com sementes e mais sementes de cacau. 

Depois de um tempo, Portugal e Espanha se tornam os principais fornecedores, e a bebida fica extremamente popular entre a nobreza.


Um holandês chamado Conrad Van Houten, inventa uma máquina que consegue extrair a manteiga de cacau, e é assim que surge a primeira forma do chocolate em estado sólido. Para se chegar na forma do chocolate sólido, eram usadas a manteiga, o pó e a massa de cacau.

Em 1891, surge a primeira fábrica de chocolate no Brasil, no Rio Grande do Sul, chamada de Neugebauer, a fábrica foi fundada por imigrantes alemães. 

Uma curiosidade, existe uma máquina que é utilizada até hoje, que foi invernada por Lindt e Nestlé, que faz com que o chocolate se movimente dentro de um recipiente, em movimentos constantes, movimentos esses que liberam partículas de gordura existentes no chocolate derretido, que faz com que o chocolate libere seu aroma e que ele fique brilhante!!! Nada mais do que o chocolate que conhecemos hoje né?!!! 

Nos Estados Unidos, a família Hershey, foi a pioneira de produção de barras de chocolate em barra acessíveis às pessoas, financeiramente falando!! Existe a cidade Hershey, onde os funcionários viviam com suas famílias!!! Essa cidade existe até hoje!

Indo para termos um pouco mais técnicos o nome científico do cacau é Theobroma cacao, os cacaueiros nascem basicamente na linha do equador, devido ao clima, uma vez que a árvore e seus frutos sao extremamente delicados quanto a variações de temperatura, tentaram plantar em outros lugares,porém sem muito sucesso! 

Mais uma curiosidade, se uma árvore de cacau, crescer próximo a uma árvore frutífera, o cacau terá um sabor que lembra a fruta! Degustadores de chocolate conseguem identificar essa característica com mais facilidade!

Mas enfim, não vou me aprofundar muito no assunto, senão o post ficará absurdamente grande! Uma das minhas paixões é o chocolate, então, esse é um assunto sem fim para mim! Hehehehehe

Termino por aqui! Espero que tenham gostado.

Bjs


Maison du brigadeiro

Site: Maison du Brigadeiro

O Visconde que me amava – Resenha

Sumi por dois dias, como havia explicado no Instagram, porque eu estava doente, não tinha como escrever!! 😦

Então, como não consegui escrever a resenha de ontem, e como eu havia me programado, será sobre o segundo livro da série Os Bridgertons, da Júlia Quinn. Já vou deixar mais ou menos como programação das segundas, os livros da série, porque se eu escrever cada dia sobre um livro, ficará muito cansativo!!! Certo?! 🙂

Então, vamos a resenha:

resenha_2

Anthony era uma grande preocupação para a sua mãe, já que ele era o dono do título de nobreza  da família, e era importante que houvesse um casamento, para que a linhagem fosse mantida.

E para ele, pareceu uma boa idéia arrumar um casamento de conveniência. Então ele começa a fazer a corte para Edwina, irmã mais nova de Kate.

Kate perdeu sua mãe muito cedo, e foi criada pela sua madrasta, Mary.
Ela sempre considerou Mary, como sua mãe, já que sempre foi criada com muito amor e carinho pela madrasta, e assim, ela prometeu a si mesma, proteger sua irmã, Edwina.

Edwina era protegida pela irmã, principalmente pelos homens que a circulavam, logo após ter debutado na sociedade. Mas o que Kate não imaginava, era que existiria uma atração dela pelo belo Anthony.

image1 (7)

Mas essa atração não começou logo de início, já que o jovem visconde tinha o maior dos prazeres em atormentar Kate, parecia que era uma missão de vida para Anthony testar a paciência dela.

O que Kate percebeu, mesmo com todo o incômodo que existia, era que havia o interesse inconsciente de conhecer um pouco mais sobre a vida do reservado visconde Bridgerton.
A vida dele não era somente resumida na fama que ele tinha de libertino, havia algo mais, algo que ele não mostrava à sociedade.

O que mais me fez ficar interessada na família londrina, foi que sempre houve demonstrações de afeto, independente das regras sociais. A família era unida em todos os momentos, sendo eles bons ou não.

A mãe Bridgerton, sempre foi uma mãe que se importava com a vida de seus filhos, e sempre acreditou no casamento baseado no amor, já que o seu havia sido assim, mas por um acidente envolvendo uma picada de abelha, Violet perdeu seu marido, por causa de uma alergia, até então desconhecida.

A história de Anthony e Kate me envolveu muito, me fez querer virar a página logo, mas ao mesmo tempo eu não queria que acabasse.

Julia Quinn tem um jeito próprio de prender a nossa atenção, mesmo que em algumas vezes eu esperasse que as histórias começassem a ser parecidas, a autora conseguia de uma  forma ou outra, mudar todo o contexto, a única coisa que sempre foi igual, foi a família  Bridgerton, que cada vez mais me cativava.

Acredito que para todos os leitores, independente do livro que estejam lendo, o final de uma história, acaba deixando um “vazio”, uma sensação de saudade!!! hehehehehhe
E para mim, o Visconde que me amava, me deixou esse vazio e essa saudade! Vazio esse, que eu posso preencher, lendo o livro de novo!!! hahahahahaha

Me despeço aqui, espero que tenham gostado!
Bjs e até amanhã!!! 🙂

O Mistério do Chocolate – Resenha

Boa noite!!! Hoje irei juntas minhas duas paixões, livros e comida 😀 !!!

Como havia dito, as resenhas dos livros sobre os Bridgertons serão escritas 1x por semana, então, semana que vem a série de livros da Julia Quinn estará por aqui de novo! Uhuuuuullll!!!! 🙂

Mas voltando à resenha de hoje, é sobre um livro bem leve, a leitura é uma delícia, um livro bem água com açúcar mesmo!!!

Vamos lá!

O misterio do chocolate

A história do livro se passa na cidade de Lake Eden, onde existe uma confeitaria que serve deliciosos cookies, chamada Jarro de Cookies, e a dona e protagonista da história é Hannah Swensen.

Tudo andava bem na cidade de Lake Eden e na loja Jarro de Cookies, até que algo misterioso aconteceu. Hannah encontra atrás da sua confeitaria o corpo de Ron LaSalle, o entregador da cidade, e junto do corpo, alguns de seus famosos cookies.

Como Hannah é cunhada do investigador de polícia, ela acaba tendo acesso a algumas informações, e acaba fazendo sua própria investigação para desvendar o caso.

A cada novo detalhe da investigação, é uma nova confusão e uma nova enrascada!!

Hannah tem uma lista de suspeito, onde cada um fornece uma pista importante para ela.
O mistério é resolvido somente nas últimas páginas do livro.

A descrição da cidade, bem como dos personagens, é o que faz o livro ser interessante, me faz imaginar uma cidade onde a vida é pacata, e que o fato de ter sido encontrado um corpo atrás da confeitaria, se torna o assunto mais comentado por todos, e por muito tempo!!

Outra SUPER vantagem do livro, é que tem as receitas dos cookies que Hannah prepara para vender em sua loja, resumindo, não é permitido ler o livro com fome, ou de dieta!!! hahahahaha

Como eu disse antes, a leitura do livro é bem leve, então não precisa criar expectativas muito grandes em torno do mistério, mesmo porque, o próprio livro não faz isso, pelo menos na minha opinião!!

Existe outro livro da mesma autora Joanne Fluke, que segue a mesma linha, ele se chama o Enigma do Morango, também com receitas de dar água na boca e super divertido!!!

Espero que tenham gostado.

Boa noite! 🙂